samedi 29 mars 2014

WTF, Brazil??

Une majorité de Brésiliens jugent que les femmes provocantes «méritent» d’être violées





source: http://oooutilsfeministes.files.wordpress.com/2012/09/affiche-femmes-contre-viol-1977-paris.jpg

C'est avec indignation que j'ai appris que dans mon pays natal, 65,1% des 3810 personnes (des deux sexes!!) on acquiescé à l'affirmation suivante **Les femmes portant des vêtements qui laissent voir leur corps méritent d'être violées**.

WTF, Brésil ???

Culpabiliser la victime ?? C'est quoi cette connerie là ? Nous vivons dans une société colonisée par des stéréotypes sexistes qui mettre le focus sur la femme victime, c'est bien cela ??

Incroyable.
                                                     source http://www.evangile-et-liberte.net/elements/numeros/201/c5.jpg


Dans le même sondage, 58,5% des sondés considèrent que **si les femmes si comportaient mieux, il y aurait moins de viols**

le grand paradoxe brésilien, le pays du culte de la sensualité et du corps (plage, carnaval, chirurgies plastiques en profusion, etc.) se heurte au catholicisme conservateur (toutes réligions confondues, en fait!)

Inadmissible!



source : http://s2.e-monsite.com/2010/02/16/04/resize_550_550//mon.jpg

Et cela s'aggrave!! L'organisatrice d'une manifestation intitulée **Je ne mérite pas d'être violée** a subi des menaces de viol dans les messages envoyées sur Internet!




Réfléchissons, SVP!!!




source : http://2.bp.blogspot.com/-dSsdzNnKYp8/UL3mTu9KByI/AAAAAAAAArg/IiveAgdQY0I/s640/campagne-edmonton-voiture.jpg

vendredi 21 mars 2014

Resposta à Paola

A Paola me questionou sobre enfermagem no QC, PEQ e cia no post anterior ...

Bonjour!
Primeiramente gostaria de dizer que gosto muito do teu blog e acho teus posts muitos bons e úteis para quem está querendo ir para a belle belle province.
Meu nome é Paola, sou enfermeira também. Sou de Porto Alegre e estou querendo emigrar para o Canada, mais especificamente, Montreal. Estou desde outubro do ano passado fazendo curso de francês por essa razão. Porém, não vejo a hora de ir embora daqui e estou em busca de outras formas de emigrar, sem ter que esperar até atingir o nível necessário de francês para o processo. Pesquisando, eu e meu marido vimos o processo de experiência quebequense, para o qual teríamos que um de nós fazer um mestrado ou algo do tipo. Primeiramente pesquisamos universidades de língua inglesa, a qual já temos, porém na concórdia não encontrei cursos de pós graduacao para enfermagem e na Mcguill eles solicitam que o candidato já tenha alguma experiência de trabalho na América do Norte, o que eu não tenho. Além disso, solicitam também que a pessoa já seja registrada na oiiq, o que eu também ainda não sou e é um processo que leva certo tempo. Por ultimo entrei em contato com a universidade de Montreal que é francofona, questionando se havia algum programa que eu pudesse fazer aulas de francês e depois iniciar a pós graduacao, mas ainda não tive resposta deles. Então dito tudo isso, gostaria de saber se tu pode me ajudar com alguma informação sobre mestrados ai em Quebec, sobre o processo de registro na oiiq, se existe algum registro que se faça só para estudar. Já entrei em contato com a oiiq solicitando os formulários para equivalência, mas ainda não recebi, tu tem idéia de quanto tempo leva? Mas enfim, qualquer informação que tu tiver sobre pós graduacao para nós enfermeiros e o processo de equivalência já ajudará. Desculpe pela enorme mensagem. Se não for incomodo e puder me responder por email, agradeço. É XXXXXXX@XXXXXX.com muito obrigada!



Eu até respondi no e-mail, mas como acredito que as informaçoes devem ser divulgadas para o maior numero de interessados, aqui vai minha resposta 

(PS: nao sou especialista em imigraçao, nem membro da equipe de analise de dossiês da OIIQ, nem representante de nada. As informaçoes sao baseadas em experiência pessoal e vivência, simplesmente) ==


Ola Paola.

Nao vim pelo PEQ, eu fiz o processo de imigraçao tradicional, vim como profissional qualificado em 2007, na época meu processo de imigraçao (provincial + federal) levou 9 meses e meu processo com a OIIQ, 1 ano e meio (por erro da USP, 1 ano de espera em QC).

Vou tentar responder em 10 itens. Voici algumas consideraçoes =

1) enfermagem no QC é basicamente assistencial. Isso significa beira de leito mesmo, gerar casos complexos e simples, ajudar os enfermeiros auxiliares e préposées nas tarefas de base, etc. Esqueça aquele enfermeiro que fica so cuidando da papelada. Aqui essa figura até existe, é o *ASI* (assistante du supérieur immédiat), geralmente um enfermeiro com alguns anos de experiência.

2) mestrado em enfermagem geralmente tem como foco o prosseguimento da carreira acadêmica ou o avanço profissional, para cargos de gestao == *ASI*, *cadre-conseil*,*ICS*(infirmière clinicienne spécialisée) = em geral enfermeiros que ja atuam no mercado québécois e que possuem anos de experiência no item (1), a assistência.

3) nao da para pensar em imigraçao para o QC, uma provincia francofona, prospectando atuar como enfermeiro, uma profissao que exige um contato com o publico, sem um conhecimento intermediario-avançado da lingua francesa. Francês nao se aprende em 1 ano. 1 ano é suficiente para sair do nulo e chegar ao basico-intermediario. O *intermediario-avançado* leva tempo e dedicaçao. Idealmente o imigrante deve chegar aqui com essa carta na manga e aproveitar o tempo de espera do processo de imigraçao para melhorar cada vez mais essa habilidade. Chegar aqui e precisar fazer francisaçao pode significar 1, 2 anos a mais de espera para a entrada no mercado de trabalho. E esperar é um saco.

4) a *pos graduaçao* como conhecemos no BR nao existe aqui no QC. Como dito no item (2), o mestrado tem finalidade especifica, por aqui as enfermeiras nao fazem cursos **por fazer** ou para **aumentar o curriculo**, como infelizmente acontece no BR. A febre de pos graduaçoes em cada esquina nao chegou aqui, felizmente. O sistema educacional é diferente, aqui ha 2 categorias de enfermeiros, as que fazem um *DEC* (+ ou - o equivalente de um College, como se fosse um tecnologo) e as que fazem o *BAC* (bacharelado, estudos universitarios). A GRANDE MAIORIA faz o DEC. Quem a faz o BAC começa na assistência, pode fazer carreira na assistência e morrer na assistência, mas o BAC abre as portas para cargos de gestao ou para cargos mais especificos. Quem faz o *DEC* em geral fica na assistência até a aposentadoria. Por aqui nao ha a febre de promoçao, a progressao profissional se faz pelo salario (échelons). Quem vai para a faculdade fazer mestrado e doutorado tem objetivos bem precisos. Nao é necessario para o enfermeiro que tem DEC ou mesmo aquele com BAC cursar pos graduaçoes ad eternum. Os cursos de aperfeiçoamento profissional em geral sao pagos pelos empregadores e areas especificas (como UTI, bloco operatorio, hemodialise, oncologia, etc) oferecem o treinamento in loco (a formaçao no bloco operatorio, por exemplo, é aberta para DEC e BAC e leva 1 ano, feita no proprio hospital. Mesma coisa para hemodialise).

5) estudantes estrangeiros pagam até 10x mais o preço dos cursos do que os estudantes locais. Isso significa que um mestrado, com sessoes à CAD 1500,00, nao saem por menos de CAD 10.000,00. Sao CAD 30.000,00 ao ano. CAD 60.000,00 ao total e isso so de taxas escolares. É MUITO $$! (ao menos na minha concepçao!). Lembre-se que o estudante estrangeiro precisa ter um seguro-saude, ja que nao é coberto pela RAMQ; ele nao pode trabalhar mais do que 20h por semana e em determinadas condiçoes; ele nao tem os mesmos direitos do cidadao e do RP e as despesas do cotidiano sao altas = aluguel, alimentaçao, vestimentas, transporte, lazer ....

6) o PEQ nao exige que o curso seja um mestrado. Vocês poderiam fazer outros cursos, mas na area de enfermagem, quem manda e quem da a palavra final é a OIIQ. Nao adianta nada fazer um mestrado em enfermagem aqui sem a autorizaçao da OIIQ, sem ser enfermeiro, Sera um diploma vazio. Como justificar um PEQ se o diploma nao da direito ao exercicio da profissao? Para a OIIQ o que vale é a recomendaçao oficial de AEC + estagio ou apenas estagio, recomendaçao essa que é dada apos analise dos curriculos acadêmico e profissional do candidato.  A OIIQ se reune 4x por ano para analisar os dossiês estrangeiros. Dos brasileiros que conheço, alguns recebem a recomendaçao estagio e a maioria recebe a recomendaçao AEC + estagio. Sao 6 meses de mise à jour, extremamente validos e pertinentes, ja que preparam para o mercado de trabalho. Ter o OK da OIIQ nao é garantia de conseguir vaga num AEC (fornecido por um CEGEP) ou estagio (negociado diretamente com os hospitais). Ha 5 CEGEPS que fornecem o curso, sendo 3 na regiao de Montréal, incluindo 1 anglofono; 1 em Ville de Québec e outro em Granby. Sao 50 a 60 candidatos por cohorte, 24 estudantes aceitos por vez. Ha CEGEPS que abrem 2 ou 3 turmas ao ano, outros abrem apenas 1. Sem um bom nivel de francês o candidato nao é aprovado no AEC nem no estagio. Algumas pessoas esperam ha mais de 1 ano, mesmo tendo o OK da OIIQ, lhes faltava o dominio da lingua. De novo, chegar aqui com intermediario-avançado é o minimo recomendado. (esperar é um saco 2)

7) a OIIQ costuma enviar o pacote com as instruçoes de base geralmente em menos de 3 meses. Antes eles enviavam rapidamente, em menos de 3 semanas, mas a demanda esta muito alta, entao se vocês ainda nao receberam nada, vale a pena ligar no Bureau du registraire e falar com eles (pode falar em inglês, a sede da OIIQ é em Montreal e eles sao bilingues). Você devera entrar em contato com seu atual empregador (e anteriores dos ultimos 4 anos), com o COREN e com a faculdade. Ha um custo para analise do dossiê e para as traduçoes de documentos, que nao deve ser negligenciado. O contato da OIIQ é = 514 935-2501 ou 1 800 363-6048 Poste téléphonique : 249

8) analise os pros e contras de cada opçao. O PEQ pode ser algo valido se o curso efetivamente te direcionar para o mercado de trabalho. O que nao é o caso de um mestrado em enfermagem! Um curso de serviço ao cliente, hotelaria, contabilidade pode eventualmente ser mais util, mas vcs pretendem atuar nessa area depois? Vale a pena investir tempo e dinheiro numa formaçao que nao convém aos seus anseios? Os cursos DEP, cursos profissionalizantes, sao bem mais baratos do que um mestrado. Em geral um DEP é obtido apos 9 a 12 meses de estudo. Vale a pena passar 9 a 12 meses (num caso de DEP) pagando muito caro e se arriscando numa carreira paralela ou é mais negocio aprimorar o francês ainda no BR e fazer um bom pé de meia para o primeiro ano? Chegando aqui com tudo mais organizado, com mais calma e com mais clareza? 

9) O processo de imigraçao é lento. O processo da OIIQ é lento. O aprendizado de uma nova lingua também. Que tal investir a fundo no processo de aprendizado do francês, encaminhar a demanda de imigraçao pelo processo tradicional e paralelamente encaminhar o processo de equivalência com a OIIQ, chegando aqui no QC ja com um bom nivel de francês e a resposta da ordem em maos? Por experiência propria, chegar aqui sem a resposta da OIIQ é frustrante e por experiência propria, *shit happens* e esperar é um saco 3! Meu processo empacou 1 ano pois a USP enviou uma informaçao incorreta. Foi um ano de angustia. Um ano onde aprendi muito, mas onde me requestionei constantemente. Por nao desejar o mal aos outros, sigo um mantra que diz **venha para o QC com o OK da OIIQ em maos**. A resposta da OIIQ tem validade de até 2 anos prorrogaveis mediante solicitaçao! É uma dor de cabeça a menos e acredite, o processo de imigraçao é cheio de dores de cabeça.

10) O QC precisa e continuara precisando de enfermeiros. Pelos proximos 10, 20 anos!! O QC precisa de enfermeiros assistenciais. Enfermeiros que consigam se comunicar adequadamente com os diferentes tipos de clientes (imagine ouvir francês vindo de um vovozinho da Gaspésie com acento pronunciado e sem dentadura? Ou de um imigrante chinês? Ou de uma criança de 3 anos? ou de uma pessoa com dor 10 sur 10, berrando nos seus ouvidos? Ou alguém com intoxicaçao, sob efeito de drogas, recém operado ... pode imaginar o cenario que quiser, a comunicaçao é a BASE). Chegar aqui com o intermediario-avançado é o MINIMO para quem é da area da enfermagem. Toda experiência é valida e ter trabalhado no BR pode ajudar bastante a desenvolver as técnicas e a aperfeiçoar olhos, ouvidos e relaçao interpessoal. Alguns recém formados chegam ao QC e recebem a recomendaçao da OIIQ para o AEC + estagio. É duplamente dificil, na minha opiniao = a pessoa nao tem nenhum point de repère, ela chega a cai direto no ritmo québécois, que é diferente do ritmo brasileiro. Ha quem veja vantagem nisso, por ser uma pessoa *crua* profissionalmente. Para mim, é so um fator de estresse adicional. É mesmo necessario?



Finalizando, sugiro os topicos sobre enfermagem da CBQ = http://brasilquebec.com/
Caso tenha outras duvidas, por favor inscreva-se no forum e coloque suas questoes por la. Seus questionamentos podem ser o de outros e a ideia de responder no forum é atingir um *N* significativo, muito mais produtivo do que a resposta 1-a-1.


Enfin, je te souhaite bonne chance, boa pesquisa, boas leituras.

Gabriela

mercredi 19 mars 2014

La petite chirurgie!!

Comme IPS-PL, je pourrai effectuer des actes *médicaux*, prescrire des médicaments et d'examens et ainsi participer à de procédures effactrives comme la *petite chirurgie*. Je pourrai utiliser les techniques suivantes =

* suturer une plaie au-dessus du fascia, sauf en présence de lésions sous-jacentes
* inciser et drainer un abcès au-dessus du fascia
* installer une canule oesophago-trachéale à double voie
* onycectonie partielle
* exérède de lésios cutanées superficielles:
      * molluscum pendullum
      * kératose au scapel
      * petit lipome (1cm et moins)
* installer un stérilet sauf chez la nullipare
* retrait du stérilet

J'ai trouve super pertinente et je suis super heureuse d'avoir la possibilité d'y pratiquer dans mon milieu de stage!

Hier, j'ai assisté à 4 exérèses de lipomes! J'ai fait les anésthésies locaux et les points de sutures, le médecin a été responsable de l'acte chirurgical en tal que tel. C'est tellement intéressant!! Les gestes associés aux interventions bénignes ne sont pas banales! Ils prendrent une importance particulière et doivent donc être effectués avec le plus grand soin et la plus grande précision, n'est-ce pas? Pour le mois d'avril, je dois être en mesure d'effectuer l'acte du début à la fin. J'ai hâte!!

Demain je serai à l'urgence. C'est mon grand défis, je dois m'habituer au rythme de consulations et d'interventions plus rapides ... l'urgence n'est pas mon milieu préféré, j'avoue, mais il faut le faire. Alors, on y va!

Presque la moitié a été faite. Je suis plus en confiance, j'ai des rétroactions super positives et je suis heureuse.

Je n'ai rien d'autre à ajouter! J'aime ma profession. Point! 





La petite chirurgie, en bref, c'est ....

le lipome ....
source = http://i3.ytimg.com/vi/J2G4g2_7gIA/0.jpg


... le stérilet ...
source = http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcS4VXzYQgEwddQDRYiANYrjd2Q0bZjFBhFahUvkKcxgZNmnmVCk


... le suture ...
source = http://img.allodocteurs.fr/upload/article/222-intro_sutures_080313.jpg



... et beaucoup plus!


Por les infirmières qui sont en processus d'équivalence avec l'OIIQ = ne lâche pas! Le chemin peut sembler difficile et dur, mais c'est avec beaucoup de persévérance et de dévouement que nous récoltons les fruits!


mercredi 12 mars 2014

les IPS, **vedettes** dans la course électorale!

Élections au Québec.

les IPS comme *promesse*, attention!!!

Le Devoir =

... La promesse des libéraux d’embaucher 2000 infirmières praticiennes spécialisées (IPS) apparaît irréaliste, du moins à court terme. La doyenne de la Faculté des sciences infirmières de l’Université Laval, Clémence Dallaire, doute à la fois du réalisme de la proposition et de son utilité. Trouver des milieux de stage aux IPS en formation s’avère toujours ardu. Selon Mme Dallaire, si les IPS ont leur place dans notre système de santé, avant d’en former des centaines de plus, on devrait donner une plus grande autonomie aux infirmières « régulières » plutôt qu'aux super infirmières qui peuvent poser des gestes médicaux, comme le diagnostic et la prescription. « A-t-on besoin de plus d’actes médicaux, ou la solution se trouve-t-elle ailleurs ? », demande Mme Dallaire. « On donne encore des solutions qui privilégient un accès médical, alors que la population aurait besoin d’accès à des infirmières généralistes, des nutritionnistes, et d’autres professionnels de la santé qui sont complémentaires. Il n’y a pas de pénurie de médecins au Québec »...

Radio Canada =
...Vérification faite, l'objectif du PLQ semble assez ambitieux. Le titre d'infirmière praticienne spécialisée (IPS) existe depuis 2002, mais les premières IPS ont commencé à pratiquer en 2006. Huit ans plus tard, le Québec compte 230 superinfirmières.
Depuis 2010, 50 nouveaux permis d'IPS sont délivrés en moyenne chaque année par l'Ordre des infirmières et infirmiers du Québec.
Pour compter 2000 superinfirmières de plus dans 10 ans, comme le propose le PLQ, il faudra donc former quatre fois plus d'IPS.
La promesse libérale implique un investissement en éducation. Dans les universités, il faut permettre aux facultés des sciences infirmières d'accueillir beaucoup plus d'étudiants. À titre d'exemple, le programme de formation d'IPS en soins de première ligne de l'Université Laval ne peut admettre que 12 nouvelles recrues par année...
Québec Hebdo =
...Des super-infirmières peuvent prescrire des médicaments, demander certains examens et prendre en charge des personnes souffrant de maladie chronique, en collaboration avec les médecins. Ce qu'on vous annonce aujourd'hui permettra une meilleure accessibilité de première ligne aux soins de santé», ajoute M. Bolduc....
Ça donne à réflechir ....
Par la 1000è fois, nous ne sommes pas de **super-infirmières**! Nous sommes **INFIRMIÈRES PRATICIENNES SPÉCIALISÉES**. Bon, moi, je suis en bloc stage, je suis une stagiaire-IPS-PL. Et très fière d'y être! je suis une future IPS-PL!
Les IPS peuvent aider le système, mais nous ne sommes pas une solution miracle, par la 1001è fois!
source http://soignantsensante.files.wordpress.com/2013/04/super-infirmiere.jpg




samedi 8 mars 2014

next stop, Juillet-2014: Saint-Timothée!

Eh, voilà, mon côté gitan parle plus fort ...

À partir de juillet-2014, moi, mon conjoint et notre chat, nous serons les nouveaux résidents du quartier de Saint-Timothée, à Salaberry-de-Valleyfield.

Je travaillerai à Vaudreuil-Dorion et à Saint-Polycarpe. Trouver un endroit **entre les 2** a été un choix logique.
Nous avons choisi un 4 et demi dans les alentours d'un club de golf et très proche du fleuve. Ah, la vie en campagne! (ou presque!). 20 minutes pour me rendre au travail, quelle merveille! 

Voici St-Timothée ...


la plage
source http://www.ville.valleyfield.qc.ca/sites/default/files/images/Activites_nautiques_et_aquatiques/plage_valleyfield.jpg



la piste cyclable
source http://pistescyclables.ca/Monteregie/PhotosStTimothee/006.jpg

la région

source http://www.iro.umontreal.ca/~marcotte/VeloBerville/Monter/Monter42/ParcStTimothee_2.jpg


source http://www.naturel-urbain.ca/sites/default/files/cbg_image/default/4._bandeau_st-timothee_valleyfield.jpg

source http://www.ville.valleyfield.qc.ca/sites/default/files/styles/media_gallery_large/public/eglisest-timothee21012007a.jpg?itok=F1wdtUNX

notre voisin, le club de golf
source http://www.ledomainedugolf.ca/images/our_site.jpg

et quelques autres informations, un peu d'histoire et cie ...

samedi 1 mars 2014

Não me leve a mal. Hoje é carnaval!

Quanto riso, oh, quanta alegria!
Mais de mil palhaços no salão
Arlequim está chorando
Pelo amor da Colombina
No meio da multidão
Quanto riso, oh, quanta alegria!
Mais de mil palhaços no salão
Arlequim está chorando
Pelo amor da Colombina
No meio da multidão
Foi bom te ver outra vez
Tá fazendo um ano
Foi no carnaval que passou
Eu sou aquele Pierrô
Que te abraçou e te beijou, meu amor
Na mesma máscara negra
Que esconde o teu rosto
Eu quero matar a saudade
Vou beijar-te agora
Não me leve a mal
Hoje é carnaval
Vou beijar-te agora
Não me leve a mal
Hoje é carnaval

Samba? Eu ? Nem pensar, sou muito *gringa* e sem nenhuma malemolência.
Nunca fui de frequentar bailes de carnaval, nem clubes, nem ensaios de escola de samba, blocos carnavalescos ou desfiles.
Mas, não ha como negar, Carnaval é algo muito Brasuca, né?


Carnaval quebeca .....
fonte http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/2/26/Bonhomme_carnaval_-_2006-02.jpg


Carnaval Brasuca 
fonte https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTzKK9hjcrmVSjZ-YEPhtfydqae3yFwhwZa7Fu7ySsqE7KF79qIrA

e a *minha* escola de Samba em Sampa ....

Bom carnaval, todo mundo!