mardi 28 octobre 2014

brasileiros e a intolerância

As eleiçoes passaram, ganhou a Dilma.

Nao ganhou com maioria absoluta (alias, foi bem *apertado*) e muitos eleitores manifestaram seu descontentamento com votos nulos e em branco.

Os dois candidatos nem eram tao diferentes assim, nao eram *agua* e *vinho*. O Brasil acabou escolhendo o **menos pior**, nessa humilde opiniao de enfermeira. Ok, eleiçao finalizada, seria a hora de aceitar a derrota e manifestar o descontentamento, certo? Num Brasil utopico seria isso. Mas, no Brasil de 2014 o que vimos foi uma enxurrada de manifestacoes preconceituosas que atingiram proporçoes gigantes. O *gigante* acordou apos as eleiçoes, querendo pisar em conterrâneos nordestinos. E naqueles que vivem no exterior também!

Li pérolas como **se você esta satisfeita com o governo do PT, volte para o Brasil** .... **é facil comentar falando ai do conforto do Canada** ... **você abandonou seu pais e agora quer defender fulano?** .... **quem você pensa que é para achar que sabe o que esta acontecendo no Brasil** . Esses sao alguns exemplos da intolerância contra os brasileiros que moram no exterior, os pobres nordestinos receberam algo bem pior, como a ideia de criar um *muro* dividindo o pais, comentarios mandando os nordestinos de volta para o NE, ameaças de morte .... Que coisa feia de se ver!

Cadê o povo amigo, solidario e companheiro? Brasileiro, seja ele o habitante de Sampa, Salvador, Manaus, Montreal ou Tokio, é, antes de tudo, brasileiro.  Essas manifestaçoes de intolerância e preconceito mostram que as raizes socioculturais do pais ainda estao bem presentes, até mais do que imaginamos : o nordestino é o pobre que foge da seca, o vagabundo que fica na rede o dia inteiro ... e o brasileiro que mora no exterior é o folgado, o que abandonou a patria, o burguesinho abusado.

Essa visao dicotomizada da sociedade brasileira é reflexo de anos e anos de exploraçao e submissao. Da para generalizar ? FELIZMENTE NAO! Ha sanidade entre nos, ainda bem!

Sete anos de Canada, convivo virtualmente com brasileiros de todos os cantos do pais. Aqui nao sou *paulista*, meu colega nao é *baiano*. Somos BRASILEIROS, todos nessa mistura incrivel que faz do pais essa riqueza espetacular. Meu biotipo faz com que pensem que sou da Europa do Leste, meu nome invoca a Romênia. Quando digo que venho do Brasil, a reaçao é sempre boa, somos vistos como um povo alegre, respeitador, amigo. Cadê isso na pratica? Tenho vergonha ao explicar aos meus colegas canadenses (e paquistaneses, russos, belgas, chineses ...) o que esta acontecendo no Brasil neste momento, essa divisao de *classes*. Nao somos **Quebec-ROC**, cujas identidades culturais se distinguem! 

Ok, você votou no coxinha (ops, no Aécio) e ficou insatisfeito ? Manifeste seu descontentamento, exija do seu deputado as melhorias prometidas, participe ativamente, mas nao aja como um imbecil xingando nordestinos ou expatriados. Discriminaçao e odio ferem os principios da democracia. ISSO É CRIME! 

E, para crime, a gente denuncia 
DENUNCIE AQUI





6 commentaires:

  1. Isso mesmo, essa euforia de preconceito não existe...não votei na Dilma, sou nordestina e nem por isso estou revoltadada. espero sim, que se a vontade do povo foi eleger a Dilma, que ela cumpra suas promessas e trabalhe melhor. Revolta não leva a nada, Se eu for me preocupar com esses comentários, vou sofrer em dobro: Nordestina e Imigrante... Por favor, uma país se faz com seu povo, não somente com seus giovernantes. Excelente Post!

    RépondreSupprimer
    Réponses
    1. ;-) e sem esquecer que a democracia brasileira ainda é bebê!

      Supprimer
  2. Ainda estamos no Brasil. Acompanhamos as eleições passo a passo e o que posso dizer é que a vitória da Dilma me cheira mal. Não por termos votado no seu adversário, mas sim por ter cheiro de fraude. Denúncias e mais denúncias de urnas que ficavam computando votos sozinhas, urnas que vinham do TRE já com XXX votos computados para a candidata petista e por aí vai...
    Infelizmente não foi a maioria que a elegeu. Se fosse, poderíamos enfiar a viola no saco e aceitarmos a decisão da maioria. O triste é quando essa maioria não existe de fato e o que se passa é uma sucessão de trapalhices, bizarrices administrativas e eleitorais.
    Fico triste. De certa forma, estaremos indo embora em breve e isso nos alivia. De outra forma, temos família, amigos e grandes queridos que ficarão no país e sentirão, a médio ou longo prazo, os efeitos de qualquer política que se assuma a partir de agora.
    Enfim... como costumo dizer para os amigos, o prazo de validade do Brasil acabará no fim das Olimpíadas de 2016. Anotem isso.
    Abraço a todos!

    RépondreSupprimer
  3. Ótimo post! Fico feliz pelo golpe midiático não ter dado certo por aqui, mas não tenho dúvida que para o meu aprendizado, e para minha grande tristeza, sobrou para os nordestinos. Já comprei várias brigas com pessoas que são (ou eram) queridas, inacreditável! Agora deram pra falar das urnas, difícil saber o que é golpe. Se essa revisão vier à acontecer, que seja para todos, São Paulo principalmente! Bons dias para todos nós! :) Jaq (*Só comentei aqui uma vez... já faz tempo... sempre dou uma passadinha no seu blog, é muito bom!)

    RépondreSupprimer
    Réponses
    1. eu tb *desamiguei* varios pelo facebook. Pois ignorância politica é uma coisa, preconceito é outra. E nao da para ser conivente com pessoas preconceituosas

      Supprimer